A Origem Socialista da Suástica

Poucos conhecem que a Suástica, o principal símbolo nazista, foi usada primeiro pelos revolucionários socialistas na Rússia nos primeiros anos da União Soviética, antes da 2ª Guerra Mundial.

Comunistas e nazistas, devido à afinidade de princípios, mantiveram colaboração por muitos anos, o que incluía acordos militares e pesquisas científicas em comum.

Nota de 10.000 rublos. Primeira moeda Soviética. Note que ela exibe uma suástica ao fundo (circulado de vermelho para encontrar mais fácil)

Durante a revolução Russa, a suástica já era usada pelo Csares como símbolo do movimento.  Em 27 de fevereiro de 1917, um Governo Provisório sob a liderança do Czar Nicolau II, o Imperador da Rússia, foi formado. Ele tentou resistir, mas no mês seguinte renunciou ao poder em favor do irmão que também renunciou.

Nota de 1.000 rublos de 1917 emitida pelo Governo Provisório. Note que ela exibe uma suástica ao fundo (circulado de vermelho para encontrar mais fácil)
Nota de 250 rublos emitida pelo Governo Provisório em 1917. Note a Suástica no centro (circulada de vermelho).
Carro do Czar Nicolau II. Note a suástica. O símbolo foi usado pelos Czares, depois foi adotado pelos comunistas. E, por último, copiado pelos nazistas (circulado em vermelho).

A suástica foi usada como símbolo socialista, tanto pela URSS nos seus primeiros anos como pelo Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães (o PT Alemão), mais conhecido como Partido Nazista.

Como demonstrado, a suástica já era exibida na cédulas russas emitidas pelo Governo Provisório do Csar. Após o golpe, o símbolo foi mantido pelo governo comunista nas cédulas emitidas em 1918 que permaneceram em circulação até 1926.

Em 1920, Hitler já adotava uma bandeira vermelha com o símbolo ao centro, assumindo explicitamente imitar a estética da propaganda comunista russa.

Os passaportes do Exército Socialista Soviético exibiam uma suástica oficial circundada por louros com uma estrela em sua parte superior, sob um fundo vermelho, conforme mostrado abaixo:

Prostituir religiões para servirem à doutrinação socialista não é invenção da Teologia da Libertação. Durante a Guerra Civil Russa, os socialistas aproveitaram que o budismo era a fé predominante no sul do país e usaram a suástica, popular entre os budistas, para ajudar a espalhar o ideal socialista. Apenas colocaram a suástica dentro da estrela de cinco pontas, outro símbolo socialista comum (a mesma estrela usada pelo PT no Brasil hoje).

Calmuques: povo do Sul da Rússia recrutado para o Exército Vermelho. Note a suástica adicionada dentro da estrela de cinco pontas pelos bolcheviques (circulado em vermelho).

A suástica também foi o símbolo oficial do Conselho Provincial de Moscou. Era usada para autenticar os documentos assinados pelos parlamentares do Partido Socialista em 1920:

A foice e o martelo

A foice e martelo tornaram-se símbolos socialistas em 1917. Foram oficializados em 1918 quando Vladimir Lenin aprovou o desenho oficial final que não continha a espada. Os mesmos símbolos também foram copiados pela propaganda nazista.

Hitler chegou ao comando da Alemanha em 1933 e já adotava os símbolos socialistas: foice, martelo, espada e arado.

Raquencros ou Suástica?

A palavra alemã Swastika têm origem no sânscrito स्वस्तिक. O nome refere-se a um sinal indiano de boa sorte, mas também está presente em várias culturas com diversos usos e significados.

Os nazistas referiam-se ao símbolo pelo nome Hakenkreuz, de Haken (gancho), e de Kreuz (cruz). Podenso ser traduzido como ‘cruz-de-gancho’ ou ”cruz-gancho’.

Embora a Raquencros seja semelhante a Suástica milenar dos templos hindus e budistas, a Raquencros foi criada no início do séc. XX pelos socialistas, época em que desenho idêntico era impresso nas notas de dinheiro da União Soviética.

No livro Mein Kampf, Adolf Hitler explicou o processo de formação da bandeira nazista e se referiu ao simbolismo da Raquencros para o Nacional Socialismo (nazismo):

Como socialistas nacionais, vemos em nossa bandeira nosso programa. Em vermelho, vemos a idéia social do movimento; em branco, a [idéia] nacionalista; na raquencros (Suática), a missão da luta pela vitória do homem ariano e ao mesmo tempo com ele também a vitória da ideia do trabalho criativo, que em si era eternamente anti-semita e anti-semita será”.

A bandeira nazista foi apresentada em público no verão de 1920. Na maioria das versões, a Raquencros era acrescentada à antiga bandeira alemã de cores preta, vermelha e branca.

Hitler dedicou várias páginas de seu livro só para tratar da bandeira nazista. Ele destacou o impacto que os símbolos causam no povo e a necessidade de um símbolo próprio para distinguir o Nacional Socialismo (Nazismo) do socialismo internacional. Ele relata como ficou impressionado com uma manifestação marxista que presenciou:

A organização do nosso serviço de ordem veio esclarecer uma questão importantíssima. Até então o movimento não possuía, nem insígnias nem estandarte próprios do Partido. A falta de semelhantes emblemas não só apresentava desvantagens no momento, como se tornava indefensável no futuro. As desvantagens consistiam, no presente, na falta de um símbolo para exprimir a solidariedade dos correligionários e, de futuro, não seria possível dispensar um sinal distintivo do movimento que pudesse servir de oposição à ‘Internacional’.

Já na minha juventude, tinha tido, muitas vezes, a ocasião de sentir e compreender a significação psicológica de símbolos dessa ordem. Depois da Guerra, presenciei uma grande manifestação dos marxistas diante do Palácio Real, no Lustgarten. Uma imensidade de bandeiras, de faixas e de flores vermelhas davam a essa manifestação, na qual tomavam parte, aproximadamente, cento e vinte mil pessoas, uma aparência formidável. Pude sentir com que facilidade o homem do povo é empolgado pela magia sugestiva de um tal espetáculo.”

A propaganda nazista pretendia causar impacto visual, assim como a socialista. O uso da suástica pelos nazistas ocorreu na mesma época dos socialistas na Rússia.

Nazismo é Socialismo sim!

A própria palavra nazismo origina-se do alemão nazi que é diminutivo  de nationalsozialist (Nacional Socialismo) em referência ao Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães, o PT Alemão.

Não há dúvidas de que o PT Alemão era socialista. Não só por causa do nome, não só por causa dos símbolos copiados do socialismo russo, mas pela característica comum a todos os socialistas, não importa o nome que usem (Fascistas, Nazistas, Comunistas, Psolistas, Petistas e o escambau),  não importa se tentam se disfarçar de “esquerda” ou de “direita”, conforme a conveniência eleitoral do momento. Todos os socialistas, sem exceção, têm por meta LEGALIZAR O ROUBO E A ESCRAVIDÃO sob a desculpa de “fazer o bem para todos”, isto é, todos eles, sem exceção, mostram a intenção de violar o 3º e 8º Princípios Universais:

Qual o motivo disso? Porque todo socialista é IDÓLATRA. Todos eles, sem exceção, acreditam que podem ser Deus da vida do outro porque se sentem “superiores” a nós, “pobres mortais” que não sabem o que é melhor para a própria vida. Todo socialista viola o 1º Princípio Universal. E quase sempre, também são PERVERSOS e devem ser tratados conforme orienta o 5º Princípio Universal: V- Não ajude, nem negocie com os perversos.

SPQR