Os Doze Princípios

I- Não idolatre.

II- Não mate, salvo em justa defesa. Arme-se

III- Não roube, não cobice, nem interfira nos negócios pacíficos alheios.

IV- Não minta, salvo em justa defesa.

V- Não ajude, nem negocie com os perversos.

VI- Não aceite a escravidão, nem fique paralisado diante da injustiça.

VII- Perdoe as palavras e os pensamentos vãos.

VIII- Não mude os outros, nem tente mudar outras pessoas por meio da violência.

IX- Não seja um parasita, respeite os seus pais.

X- Respeite a família e os seus membros.

XI- Faça Caridade verdadeira.

XII- Respeite os mensageiros de Deus e os costumes pacíficos que eles ensinaram.

I- Não idolatre.

Não idolatre. Deus te abençoará com uma mente aguçada e um coração justo e honesto. Jamais acredite cegamente em ninguém, mesmo se a pessoa for ainista. Duvide do que os famosos e poderosos dizem e de quem recebe dinheiro ou favores deles. Acreditar cegamente em qualquer pessoa também é idolatria. Desconfie do que você gosta e do que você não gosta. O gostar e o desgostar são formas de idolatria que entorpecem e escravizam o pensamento. Só Deus sabe a Verdade e cabe a você, somente você, examinar a realidade com atenção e decidir o seu próprio caminho com humildade, honestidade e consciência de que qualquer pessoa, inclusive você, pode errar e falhar. Somente Deus não erra e não falha. Respeite todas as pessoas, cada uma delas é imagem e semelhança de Deus. É idolatria grave violentar ou incentivar que pessoas sejam violentadas por causa de sexo, cor de pele, sexualidade, idade, inteligência, saúde, linguagem, lugar de origem, escolaridade, diplomação, profissão, vestimentas, hábitos, costumes, riqueza ou qualquer outra forma aparente. As aparências e as características físicas não fazem uma pessoa semelhante a Deus, mas sim o Espírito Livre que cada uma é. Respeite este Espírito em qualquer forma que se manifestar. Idolatria é o pior de todos os pecados porque ele é a fonte de todos os outros. Se você é judeu, pratique somente este e o 12º princípio. Quem praticar este princípio com sinceridade e empenho, receberá o Dom de praticar todos os demais princípios que lhe cabem e será favorecido por Deus, mesmo se não acreditar n’Ele.

II- Não mate, salvo em justa defesa. Arme-se.

Não mate, salvo em justa defesa. Deus concedeu espinhos até para as rosas e para você Ele deu inteligência para forjar e usar armas. Seja prudente, arme-se, treine e esteja preparado. Use suas armas em justa defesa. Deus abençoa com liberdade, paz e prosperidade o povo que pratica este princípio. Ele deixa que a mortandade e a escravidão recaiam sobre o povo que permite a violação deste princípio.

III- Não roube, não cobice, nem interfira nos negócios pacíficos alheios.

Não furte, nem roube. Não cobice os pertences alheios. Não interfira, nem palpite sobre como os outros usam em paz os pertences deles, nem se meta nos negócios pacíficos dos outros. Repudie o uso da violência para interferir na vida pacífica dos outros e nos negócios pacíficos dos outros. Deus abençoa o povo que pratica este princípio com prosperidade, abundância, vida longa, graças inimagináveis e paz. Deus deixa que a pobreza, a escravidão e a violência caiam sobre o povo conivente com a violação deste princípio.

IV- Não minta, salvo em justa defesa.

Não minta para negociar ou para testemunhar, salvo em justa defesa ou contra ataques violentos iminentes. Você dirá e defenderá muitas besteiras ao longo da vida, mas não se sinta mal porque todos dizem e fazem besteiras, inclusive, os mensageiros que escreveram estes princípios. O universo não foi feito em um dia e aprender leva tempo e requer humildade e persistência. Quando errar, erre com honestidade, aprenda com o erro e seja rápido em admitir o erro. Não há vergonha nisto. Só Deus não erra e não falha. Não seja ignorante como os idólatras que têm olhos e são cegos, têm ouvidos e são surdos. Eles inventam mentiras, eles apelam para o sentimentalismo para disfarçar o erro e eles usam a violência para dissuadir quem duvida deles. Busque o conhecimento com sensatez e honestidade e quebre os ídolos mentais. Aprenda e ensine sem idolatria. Seja sempre honesto ao elogiar e evite discórdias calorosas. Tenha tato, um tato honesto e não-bajulador. Deus é Justo e Misericordioso e permite que a solidão, o descrédito e o esquecimento caiam sobre quem violar este princípio.

V- Não ajude, nem negocie com os perversos (מֵסִית).

Não ajude as pessoas perversas (מֵסִית), não salve a vida delas, nem as perdoe. Ignore as pessoas perversas, evite-as, não negocie com elas, tudo que sai da boca delas é falsidade e tudo que fazem ou deixam de fazer tem segundas intenções maléficas. Evite a guerra com os perversos, mas quando ela começar não faça paz, devaste-os e não deixe ficar pedra sobre pedra, destrua até os alicerces e não poupe nenhum perverso, mesmo se ele for mulher, idoso, doente ou criança. Não tenha piedade do perverso! Na dúvida, destrua até as plantações e os animais porque podem estar envenenados! Jamais confie nos perversos. Sempre se previna contra o mal terrível que podem fazer se tiverem chance. Não tenha piedade dos perversos. Eles são uma doença letal e contagiosa que se disfarça de cura. Quando puder, alerte o seu próximo sobre o mal das pessoas perversas e prepare-se para se defender contra as agressões injustas que os perversos praticarão e incentivarão se tiverem chance. Quem são os perversos? Perversos são os maiores semeadores da violência no mundo. Todo judeu ladrão ou defensor do roubo é perverso, não há exceção, nunca houve e nunca haverá. Também é perverso todo judeu que usa ou tenta usar a violência para impor o cumprimento de mandamentos judaicos a quem não é judeu, não há exceção, nunca houve e nunca haverá. Perversos são manipuladores e usarão da sua bondade contra você como um cavalo de Tróia para invadir e destruir Roma. Eles fingirão praticar os Princípios Universais, eles fingirão representar a Vontade infalível do Deus Único, eles falarão palavras belas, eles apelarão para os seus melhores sentimentos, mas tudo que farão no mundo é violar os Doze Princípios Universais, transformando a violência em lei e condenando multidões a uma vida de escravidão, ignorância e barbárie. Os perversos são as pessoas que sufocaram a imagem de Deus dentro delas por praticarem idolatria ao extremo. São estrelas que se tornaram buraco negros vorazes. No lugar da luz e do ser, elas cultivam a escuridão e o vazio. Perversos são cascas que manifestam os qliphoth neste mundo. A idolatria cegou e entorpeceu o coração dos perversos com maldade espessa que impede que eles vejam a realidade como ela é. Os perversos proferem falso testemunho de forma dissimulada, insistente e hipócrita. Eles incentivam a violência e agem com violência contra pessoas pacíficas e indefesas e são os primeiros a apelar para violência contra qualquer um que duvidar de seus ídolos falsos. Os perversos são mestres em semear discórdia e violência em nome da paz. Eles acusam os pacíficos de serem violentos e chamam a si mesmos de pessoas de paz. Eles justificam a perversidade pela vontade da maioria, mas discordam da mesma maioria quando ela tende a praticar os 12 Princípios Universais. Perversos pervertem. Eles são incoerentes, mentirosos e hipócritas e mudarão de opinião sempre que for conveniente para idolatrar seus ídolos. A boca do perverso é fonte inesgotável de doces mentiras que são agradáveis para o paladar, mas causam câncer no estômago e nos intestinos. Os perversos protegem os violentos e abominam as pessoas pacíficas que usam a força para se defenderem ou exigirem Justiça. Os perversos convidam as pessoas para beberem veneno, iludindo-as de que aquilo é vinho da melhor qualidade. Eles incitam à escravidão e à violência prometendo liberdade e paz. Perversos só trazem violência, escravidão, fome, tirania, morte e destruição para o povo que os leva à sério. Os perversos impõem sua visão idólatra de mundo por meio da violência, do medo, da mentira e da manipulação. Quem discorda dos perversos, eles ameaçam com violência, violentam e matam quando têm oportunidade e quando lhes é conveniente. Os perversos são trapaceiros. Eles não te veem como imagem de Deus, mas como inimigo a ser destruído ou como um objeto a ser usado para cultuar os ídolos que eles seguem, objeto que será destruído tão logo perca a utilidade para eles. Não estenda a sua mão para tirar o perverso do buraco espiritual ou ele te puxará, e vocês dois cairão e serão destruídos pelo fogo da idolatria. Perversos não podem ser salvos por nós. Somente o próprio perverso, ajudado pela Misericórdia Divina, pode encontrar forças para sair das trevas espessas em que se encontra. Só assim o perverso terá forças para renunciar à idolatria, ao desejo de matar, ao desejo de roubar, à cobiça, ao desejo de escravizar o próximo, à violência como meio de vida e ao falso testemunho como meio de seduzir outros a idolatrar seus falsos ídolos. Os perversos são extremamente perigosos e traiçoeiros e por isso Deus os detesta: “Há seis coisas que Deus detesta, e a sétima Ele abomina: olhos arrogantes, uma língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente, um coração que arquiteta violência, pés que são rápidos em correr para o mal, uma falsa testemunha que exala mentiras, e quem semeia discórdia entre irmãos” (Provérbios/ Mishlê 6:16-19). Deus é Justo e permitirá que a violência, a barbárie, a pobreza e a escravidão caiam sobre o povo conivente com a violação deste princípio.

VI- Não aceite a escravidão, nem fique paralisado diante da injustiça.

Jamais permita ser escravizado, roubado, morto ou ferido injustamente. Jamais permita que o seu próximo também o seja. Defenda-se e defenda o seu próximo. Deus permite que você exerça a justa defesa armada para destruir o agressor sem moderação. Se o mal já tiver sido praticado, o equilíbrio deverá ser restaurado com prudência e força. Jamais puna o inocente. Identifique o agressor e tenha certeza de que ele agiu de livre vontade e injustamente. Na dúvida, perdoe. A violência usada pelo agressor contra a vítima será usada como medida da pena a ser aplicada ao agressor. A pena nunca será superior a violência contra a vítima. Esta é a balança da Justiça. Quem matou porque quis será morto. Quem torturou ou lesionou porque quis será torturado ou lesionado na mesma proporção. E quem roubou porque quis devolverá o que tiver roubado e pagará a pena à vítima. Se o ladrão não tiver bens, será condenado a servidão até pagar o que deve. Quem julgar a agressão medirá os fatos na balança para restaurar o equilíbrio e só usará a força na medida necessária para equilibrar a ordem violada. Deus despreza os covardes, mas aprecia quem age com Justiça. Somente a vítima ou quem a suceder poderá perdoar ou exigir pena menor do agressor. Se o agressor não pagar pela agressão por causa da maldade do povo ou da injustiça do julgador e houver clamor por vingança, é dever do ainista aliar-se com outros em segredo e providenciar a aplicação da pena por qualquer meio. Se não for possível punir o agressor proporcionalmente sem colocar em risco a vida, o patrimônio ou a segurança das vítimas e dos vingadores, o agressor será morto. Que todos aprendam a temer a Justiça e que isto sirva de sinal para todos os povos de que a Justiça sempre será feita pela balança justa de Deus ou pela fúria da espada dos Vingadores. Ainistas não são ovelhas esperando por serem abatidas, são reis e rainhas filhos do Deus da Guerra. Quem levanta a espada injustamente contra reis, declarou guerra e sofrerá o terror da guerra, e o Deus da Guerra lutará ao lado de seus filhos.

VII- Perdoe as palavras e os pensamentos vãos.

Se alguém tiver dito alguma palavra que lhe desagradou, mesmo que dura, injusta, herege ou mentirosa, você não usará a violência para calar quem a falou, nem se vingará, nem as remoerá em seu coração, nem se queixará delas com o seu próximo. Se a carga das palavras for pesada, reze e converse com Deus até que a carga se torne mais leve que o ar. Não se preocupe. Deus é Misericordioso e Justo e Ele Próprio executará a Justiça contra o ofensor sempre que for necessário. Ai de quem cair em desgraça com Deus, melhor seria ser devorado vivo por um leão faminto! Deus permite que a censura, a ignorância e a escravidão caiam sobre o povo conivente com a violação deste princípio.

VIII- Não mude por meio da violência, nem incentive mudanças por meio da violência.

Nunca faça mudanças por meio da violência, nem tente mudar algo por meio da violência. Deus colocou cada grão de areia no seu devido lugar quando criou o multiverso. Deus é Sábio e Justo. Empenhe-se para mudar a si mesmo. Deixe as outras pessoas viverem em paz, mesmo quando você discordar delas ou estiver certo que elas trilham caminho tortuoso, enganoso, imoral ou maléfico. Não ameace quem segue a própria vida em paz. Ao invés disso, use a sua boca para rezar, ou conversar com humildade e respeito pela liberdade alheia. Deus aprecia os diálogos respeitosos e honestos, mas repudia quem se passa por divindade infalível. Enquanto os outros conviverem em paz contigo, não ouse levantar sua mão contra eles, nem ouse ameaçá-los com violência. Só de pensar em tais coisas já é cobiça! Apenas os idólatras trilham o caminho da violência e da ameaça de violência para obrigar os outros a concordar com suas ideias ou a praticar alguma moral. Os filhos do Deus Único trilham caminhos de paz e só vão à guerra quando necessário. Deus é Zeloso e permitirá que a pobreza, a escravidão e a violência repentinas caiam sobre o povo conivente com a violação deste princípio.

IX- Não seja um parasita, respeite os seus pais.

Não seja um parasita. Amadureça e torne-se independente. Quando for livre, respeite quem lhe ajudou a alcançar a independência. Deus mantém por si o multiverso e lhe deu o dever de manter a própria vida e lar. Deus abomina quem impede o outro de se tornar maduro e independente ou, podendo sair, permanece na casa dos pais para parasitá-los. Ai de quem roubar os próprios pais ou tentar mandar na casa dos pais! Ai de quem enfraquecer os próprios filhos! Melhor seria não ter mãos e não ter boca. Deus é justo!

X- Respeite a família e os seus membros.

Respeite quem você tiver escolhido para viver contigo e honre os acordos pacíficos que tiver celebrado para constituir e manter a família. Cuide dos frutos que ela gerar e ensine cada familiar a viver e respeitar os dos Doze Princípios Universais. Seja um exemplo na prática dos Doze Princípios Universais e não desvie seus passos para direita, nem para esquerda. Não erre pelo excesso de Rigor, nem pelo excesso de Misericórdia na prática dos Princípios. Não seja um general inflexível para seus filhos, nem um egoísta irresponsável que tudo permite. Seja equilibrado. A virtude não está só na Força, nem só na Honra, mas na habilidade de equilibrar todos os poderes da Árvore da Vida. Você não é Deus, nem um anjo de Deus. Você também é um ser vivente submetido às leis da natureza não-livre. Não tente suprir só às necessidades do Espírito, nem somente às necessidades do ser vivente que você também é. Qualquer destes caminhos levará ao desequilíbrio de poderes que resultará em dor e desgraça. Esforce-se para encontrar o seu ponto de equilíbrio no centro da Árvore da Vida. Quando achá-lo, praticará suavemente os 12 Princípios e viverá em paz com seu semelhante, assim como Deus comanda todo multiverso e coexiste em paz conosco. Sagre cada ação e omissão de sua vida. Você não precisa “renunciar a todas as coisas deste mundo”, basta praticar com sinceridade e equilíbrio os 12 Princípios Universais. Deus não encheu o mundo de beleza para que ninguém a apreciasse, nem lhe deu a necessidade de comer para te impedir de sentir o sabor das coisas. Seja equilibrado, pratique os 12 Princípios e faça com que todos os atos de sua vida sejam sagrados. Os Princípios ocultos na luz infinita não são a letra fria da linguagem humana, mas símbolos que apontam para a Água Viva que, se tomada, conduz ao despertar. Assim como o um corpo vivente degrada com o tempo, assim também são a letras que apontam para a Água Viva oculta na luz infinita. Não se apegue à letra fria. Procure beber a Água Viva para a qual as letras apontam. Se você vive em guerra consigo mesmo e com sua família, você precisa meditar mais sobre os 12 Princípios e encontrar o equilíbrio. Deus protegerá e abençoará com felicidade e paz a família que praticar este Princípio e permitirá que a aflição, o rancor e a ingratidão caiam sobre a família conivente com a violação deste princípio.

XI- Faça Caridade verdadeira.

Faça caridade com seus próprios recursos ou com seu próprio trabalho, sempre que quiser ou se sentir triste. Fazer caridade afasta a tristeza do coração e é a oferenda que o Deus Único mais aprecia. Deus permite que a corrupção, a depressão e a escravidão caiam sobre o povo conivente com a violação deste princípio. Ai do povo que pratica o roubo e a escravidão com nomes pomposos para encobri-los! Nada pode ser escondido do Deus Único, O Senhor da Guerra e portador da espada da Justiça!

XII- Respeite os mensageiros de Deus e os costumes pacíficos que eles ensinaram.

Respeite os praticantes de outras religiões pacíficas e os costumes pacíficos que eles ensinaram porque Ain Soph (אין סוף), O Incognoscível, se manifesta na existência de muitos modos e Sua Misericórdia é infinita e indecifrável. Ele não criou tantos semelhantes à toa, cada alma está no seu devido lugar. Deus é Justo! Jamais coma nenhum animal enquanto ele ainda estiver vivo. Cuidado com a Torá judaica! Todo cuidado é pouco! A perversão da Torá é a mãe de toda violência, e sua perversão é a essência de todo fanatismo! A Torá judaica fundamenta-se no que o Deus Único ensinou a Moshê para que somente os judeus cumpram, com os quais o Próprio Deus Único celebrou um pacto perpétuo (Gênese/Bereshit 17:7 e Deuteronômio/Devarim 28:46). Nenhum médico receita remédio para quem já está saudável, igualmente, o Deus Único, o Médico dos Médicos. Sua Torá é um remédio forte que só deve ser tomado por quem precisa, os judeus. Não se aplica remédio em pessoas saudáveis porque pode enfraquecê-las, adoecê-las e matá-las. Igualmente, não se deve exigir a prática de Torá de quem não é judeu, bastando praticar os 12 Princípios Universais. Jamais permita que um judeu descumpra Torá ou ele destruirá a si mesmo e a todos a sua volta como um câncer silencioso dentro de um corpo (Isaias 1). Se você sentir necessidade ou for judeu, pratique a Torá com sabedoria, mas jamais obrigue os outros a segui-la por meio da violência, nem falsifique os ensinamentos da Torá. Não seja um idólatra, nem mais outro perversor da Torá. Aprenda a separar o que o Deus Único ensinou do que os homens ousaram acrescentar e suprimir para manter os violentos em seus tronos! Não seja um idólatra! O Deus Único abomina os violentos, mas estende a mão para todos os justos. Deus é Justo! Deus não permitiu que o 2º Templo fosse destruído à toa, mas porque houve perversão e falsificação intoleráveis de sua Torá. Perversão que ainda permanece (Ezequiel 34)! Ai de quem cair em desgraça com o Deus dos Exércitos! Quando a Torá prevê penas físicas para punir os hereges, somente o próprio Deus poderá executar a pena ou ordenar a execução. Não cabe a você, nem a nenhuma outra pessoa ordenar ou executar penas físicas por heresia. Se for o desejo de Deus, Ele se manifestará neste mundo ou enviará um anjo que executará a pena física como um acaso aos olhos desatentos. Não seja um idólatra! Você não é Deus, nenhuma pessoa pode ser Deus. Ain Soph derramará sua Luz Infinita sobre todos que respeitarem este Princípio e permitirá que o terror, a violência, a mortandade, a escravidão, a ignorância, a loucura e a destruição avassaladora caiam sobre todos os povos coniventes com a violação deste Princípio.

Estes são os doze princípios de Ain Soph (אין סוף) ocultados em sua luz infinita para todos os povos. Grave-os no seu coração, pratique-os, estude-os e medite sobre eles. Faça deles o seu farol e Deus te concederá entendimento sobre cada um deles e te abrirá as portas da elevação espiritual.

“5. Não temas, porque Eu estou contigo; do oriente trarei tua descendência, e do ocidente a buscarei. 6. Direi ao norte: ‘entrega os cativos’, e ao sul: ‘não os retenhas; anda, traz de longe Meus filhos e, das extremidades da terra, Minhas filhas. 7. Todo aquele que é chamado pelo Meu Nome e que enaltece Minha glória, Eu o formei e o criei. 8. Portanto, libertarei este povo que, embora tendo olhos, é cego, e ainda que tenha ouvidos, é surdo. 9. São convocadas todas as nações e reunidos todos os povos. Quem dentre eles poderia tais coisas anunciar, como se as tivessem previsto? Que tragam suas testemunhas para que ouçam e proclamem: ‘sim, é verdade!’ 10. Vós sois as Minhas testemunhas – diz o Eterno – Meus servos a quem escolhi, para que possais saber, acreditar e compreender que Eu sou o Eterno. Nenhum deus havia antes de Mim e nenhum haverá depois. (Isaias/Ieshaiáhu 43:5-10)”.